Crônicas

Ter fé sempre!

Ter fé sempre!
Padre Valson Sandes - Arquidiocese de São Salvador da Bahia

Padre Valson Sandes - Arquidiocese de São Salvador da Bahia

28/01/2021 12:00am

“Senhor, aumenta-nos a fé.” (cf. Lc1 7,5.). Trata-se de um pedido, de uma súplica, de uma prece, de uma graça que se eleva à plenitude que brota de um coração confiante que espera, persiste e se pauta no consolo ou na resignação.

Com certeza, ter ou não ter fé faz uma enorme diferença na vida de uma pessoa. Diante de tantas situações que nos marcam, verifica-se que a nossa caminhada tem o sabor e a cor dos nossos valores internos. Quem tem fé não se curva diante dos fatos, das pessoas, do mundo, com olhos muito diferentes de um ateu.

Segundo Sharon Jaynes, autora do livro “De bem com você”, existem sete motivos apresentados a seguir para termos fé: ela produz resultados. Jesus disse que um pequeno fragmento de fé pode remover montanhas. Um jovem com fé é como um carro zero com o tanque cheio. A fé causa impacto nos outros. Lembre-se que as pessoas que nos influenciam são aquelas que acreditam em nós. A fé faz a gente ver o mundo em tom cor de rosa. A fé consegue enxergar a melhor faceta de cada situação e vislumbrar o potencial das pessoas. A fé é mãe do pensamento positivo. A fé torna infinitos nossos horizontes. Tem coisas que não dá para saber pela razão ou pela ciência. A fé vai além, sua antena é potente e pode colaborar muito com a ciência. A fé dá boas respostas para as eternas perguntas existenciais: “Quem sou?”, “O que faço aqui?”, “Para onde vou?”. A fé honra o Pai do Céu.

A Bíblia diz que “sem fé, é impossível agradar a Deus”. Nada mais elementar, já que o relacionamento entre Deus e nós é baseado na confiança mútua. A fé salva. Ela foi o método escolhido por Deus para termos acesso à Sua graça. Ninguém chega ao Céu pelo status, pelo dinheiro, pela sabedoria, pela meditação, pelas boas ações, pelas ideias geniais.

"Ter fé é dar importância ao essencial, sem agarrar-se demasiadamente ao acidental, ao que não merece tanto apego e preocupação. Transformando nosso cotidiano em oração, colocando tudo nas mãos de Deus"

(Padre Valson Santos Sandes)

Como diz Gonzaguinha: “Fé na vida, fé no homem, fé no que virá. Nós podemos tudo, nós podemos mais. Vamos lá fazer o que será!”. Ter fé é dar importância ao essencial, sem agarrar-se demasiadamente ao acidental, ao transitório, ao que não merece tanto apego e preocupação. Transformando nosso cotidiano em oração, colocando tudo nas mãos de Deus. A fé deve ser traduzida em obras concretas, com gestos de bondade, numa palavra de perdão, num sorriso distribuído, na defesa da vida, do seu início ao seu declínio, no combate às intolerâncias ou num favor voluntariamente prestado.

A lição é muito clara e não deixa dúvidas: nosso testemunho de vida é a prova existencial da fé. O cantor Gilberto Gil com seu canto e encanto baiano nos confirma: “Andar com fé eu vou, que a fé não costuma faiá!”. Seja sempre este o nosso brado cada vez mais firme na fé, no amor a Deus e aos irmãos, na alegria e na felicidade oriundas de corações generosos que vivem sua fé, seu ideal e sua vocação, sempre a serviço de um mundo novo.

Portanto, movidos pela esperança, trilhemos esse novo horizonte cheio de possibilidades que 2021 tem para oferecer-nos, com as bênçãos do coração de Jesus e a constante proteção de Nossa Senhora!


Mais Notícias de Crônicas