Colunas

Ter desafios é que faz a vida interessante e superá-los é o que a faz ter sentido

Edson Piaggio - Empresário

Ter desafios é que faz a vida interessante e superá-los é o que a faz ter sentido
Coluna Business Bahia

Coluna Business Bahia

08/01/2022 10:59am

Posso dizer que comecei a pensar em desafios quando tinha entre 10 e 12 anos, ao dizer para os meus irmãos que quando crescesse eu iria para o Mato Grosso. Provavelmente significava um desafio ir para um lugar cheio de perigos, habitado por muitos bichos e que, para sobreviver, teria que superar estes desafios com muita coragem. Os meus irmãos me desestimularam, dizendo que se eu fosse para lá teria que comer tanajura.

Quando já adulto, lembrando deste e de outros episódios semelhantes, percebi que o desafio já me mobilizava desde cedo, pois viver em Mato Grosso era um desafio à época. Talvez, por isto, gosto muito de um pensamento que vi e li em um salão de cabeleireiro que dizia “Ter DESAFIOS é o que faz a VIDA INTERESSANTE e SUPERÁ-LOS é o que faz a VIDA ter SENTIDO”. 

Esta visão me acompanha até os dias de hoje. Nasci no dia 13 de agosto de 1943, na sede do pequeno distrito que pertencia ao município de Santo Estevam, denominado Ipecaetá, que fica a 50 km da cidade de Feira de Santana, onde morei até os 15 anos de idade. Ipecaetá tinha, naquele ano, pouco mais de 500 habitantes. Hoje, já município, tem 2.600 moradores. 

Ali cursei o primário tendo, como professora, a minha mãe. Terminado este, permaneci por mais de 5 anos sem estudar, haja vista que a cidade mais próxima que disponibilizava o Ginásio era Feira de Santana, e os meus pais não tinham condições financeiras para bancar os custos com minha estadia em pensionato e, por outro lado, a minha mãe havia tomado, acertadamente, a decisão de bancar os estudos das minhas 3 irmãs, lhes dando a oportunidade de serem professoras e os demais filhos, 4 homens , teriam como se virar. 

Durante este tempo, trabalhei com o meu pai em um pequeno comércio que ele tinha no distrito. Finalmente, cinco anos depois, realizei o meu sonho de voltar a estudar. A situação financeira dos meus pais melhorou e fui para Feira de Santana, morar em um pensionato e estudar. Mas antes, passei no exame chamado “de Admissão” exigido à época para ingressar no curso Ginasial. Era uma espécie de mini vestibular.

Nos dois primeiros anos estudei em colégio particular, o Santanópolis, e os dois últimos anos no Colégio Público Gastão Guimarães. Em Feira, não existia o Curso Científico no turno noturno e tinha de trabalhar para continuar custeando as minhas despesas e, por isto, tive que me transferir para Salvador para ingressar no Colégio Central, onde concluí o Segundo Grau.

Para o Curso Superior, fiz vestibular para Administração de Empresas e para Economia, ambos na UFBA. Fui aprovado em Economia cursando os dois primeiros anos e em seguida me transferi para o curso de Ciências Contábeis, onde me formei, implantado na mesma faculdade de Economia da UFBA no turno noturno. Esta transferência não se deu por vocação e sim pela necessidade de continuar trabalhando durante o dia e estudando à noite. 

O Curso de Ciências Contábeis era à noite. Após me graduar fiz alguns Cursos de Pós Graduação "LATO SENSO nas áreas de RH e Marketing. No trabalho fora de casa iniciei aos 12 anos, em 1954, quando terminei o curso primário, sendo vendedor no pequeno comércio que meu pai mantinha em Ipecaetá. Em Feira de Santana iniciei trabalhando também como vendedor na loja Ana Maria e depois na Loja LINDATEX, ambas na Rua Sales Barbosa que comercializavam tecidos e roupas prontas.

Estes empregos eu consegui entrando de loja em loja  e falando com os donos, que não me conheciam, e me oferecendo para trabalhar, com base na experiência obtida no pequeno comércio do meu Pai (Secos & Molhados) como era chamado à época, pois vendia de tudo um pouco.

O meu sonho era trabalhar em um lugar que tivesse uma mesa de trabalho só para mim. Assim, por seleção com outros candidatos, ingressei na MAFRISA, uma empresa de Economia Mista Estadual que abatia bovinos em Feira de Santana, convencido de que estaria uma mesa lá me esperando. Ledo engano. Me reservaram uma função híbrida de auxiliar de escritório e contínuo que não precisava de mesa fixa. Neste emprego, consegui concluir o ginásio pela noite. Para continuar estudando a noite, solicitei e consegui transferência para trabalhar na sede da Empresa em Salvador, que disponibilizava curso público no Ciclo Científico – Segundo Grau – no turno da noite e na sede da MAFFRISA eu teria uma mesa de trabalho. 

Da MAFRISA, por seleção, fui trabalhar no Banco Comércio e Indústria de Minas Gerais S/A e, em seguida, também por seleção, no Banco do Estado da Bahia S/A, onde iniciei como auxiliar de escritório em 1968, chegando a Gerente Geral da Agência Central. Ainda não me achava realizado e queria ser Empresário, ter uma empresa. Para tanto pedi demissão do BANEB, em 1972, para ir trabalhar na GOES-COHABITA Construções como Gerente Financeiro chegando a Vice-Presidente. Neste grupo, trabalhei durante 25 anos como Executivo e depois como Sócio na Empresa GOES-COHABITA Incorporadora Ltda e Presidente do Banco AGRIMISA adquirido pelo Grupo.

Saindo do Grupo GOES-COHABITA fui trabalhar na Empresa, a PDK – Empreendimentos Imobiliários S/A que atua nas áreas de Shopping Centers e Incorporação Imobiliária com atuação no Estado da Bahia. Atualmente exerço os seguintes Cargos e Função: 1)Membro Efetivo da CET- Câmara Empresarial do Comércio, Turismo e Serviços, da FECOMERCIO - Federação do Comércio, Serviços e Turismo do Estado da Bahia;2) Coordenador Regional para o Estado da BAHIA da ABRASCE – Associação Brasileira de Shopping Centers;3) Membro Efetivo do Fórum Empresarial do Estado da Bahia; 4) Vice-Presidente do INSTITUTO PENSAR FEIRA; 5) Conselheiro da Associação Comercial e Empresarial de Feira de Santana; 6) Fundador e Presidente do Instituto IPEMAC, uma Organização Civil de Interesse Público sem Fins Lucrativo, criado e mantido pelas Empresas da sua família, para oferecer gratuitamente Complemento Escolar para Alunos cursando o Ensino Médio em Escolas Públicas, com reforço em todas as Matérias, além de oferecer Dança, e Esportes.  

Esta minha aptidão de vencer dificuldades focando em resultados, provavelmente contribuiu para que me fizessem as seguintes honrarias : 1) em 1992- Eleito pela Revista MARKETING Editada em São Paulo, Capital – SP, o “HOMEM DE MARKETING” do Estado de Minas Gerais, quando presidia o BANCO AGRIMISA S/A; 2) em 2003 - Título de Cidadão Feirense concedido pela Câmara de Vereadores de Feira de Santana, Bahia;3) em 2008 - Agraciado com a Medalha do Mérito Municipal concedida pela Prefeitura Municipal de Feira de Santana, BA; 4) 2009 até 2018 – Troféus “Imprensa” e “Personalidade de Destaque do Ano” outorgados pelo Jornal NOITE & DIA, Feira de Santana/Ba, pelos bons serviços prestados em benefício a cidade de Feira de Santana, Ba; 5) entre 2010 e 2019 recebi anualmente o Troféu concedido pelo Projeto CEPARH, Planejamento Familiar, sob a Regência do Cientista Dr. Elsimar Coutinho, na condição de Apoiador e Colaborador do Projeto de Planejamento Familiar; 6) em 2011 - Agraciado com o Troféu Tracajá “O Oscar do Sertão” Feira de Santana e o Título de Patrono outorgado pela Reitoria da Universidade Estadual de Feira de Santana; 7) nos anos de 2011, 2013, 2017, e 2018, o Troféu “QUEM É QUEM” outorgado pelo Jornal TRIBUNA DA BAHIA, por se destacar entre as pessoas que mais contribuíram para o  desenvolvimento, de Feira de Santana, Bahia; 8) em 2012- Medalha Mérito Cireneu - Preito de Gratidão, Feira de Santana/Ba; 7) em 2013 - Prêmio Destaque do Ano concedido pelo Jornal Folha do Estado/Feira;9) em 2016 - Troféu ‘RECONHECIMENTO” outorgado pela ABRASCE-Associação Brasileira de Shopping Centers pela sua Participação e Colaboração no Desenvolvimento da Indústria de Shopping Centers no Brasil, entregue durante o Congresso Internacional e comemoração dos 50 anos da Indústria no Brasil. São Paulo/SP; 10) em 2017 - Troféu “GENTE QUE FAZ O BEM” concedido pela Fundação José Silveira, Salvador/Ba e também agraciado com a Medalha Senhor dos Passos concedida pela Câmara Municipal de Feira de Santana, Bahia, por indicação da FUNDAÇÃO SENHOR DOS PASSOS e 11) em 2019 – Agraciado com a Medalha Thomé de Souza concedida pela Câmara de Vereadores de Salvador, conforme Resolução no. 2.851/19 de iniciativa do Vereador Pedro Godinho aprovada por unanimidade dos Vereadores Bahia .