Colunas

O poder do Apreendedorismo®

Rodrigo Santos, Ph.D. / CEO do Grupo INGEPE e Diretor Científico do Instituto de Gestão, Educação, Política e Estratégia.

O poder do Apreendedorismo®
Coluna Business Bahia

Coluna Business Bahia

06/02/2021 10:15am

 

É dito que devemos viver de tal modo, que a criança que fomos sinta imenso orgulho do adulto que nos tornamos.

O que será que o pequeno Rodrigo, jogando bola – muito mal, confesso – descalço em um campo de barro, com traves de paralelepípedo, estaria achando, agora?

Sou PAI da Maria Eduarda, de 8 anos, meu mais importante e bem sucedido projeto, apaixonado por minha família, meu país, e meu propósito. Nascido em Salvador, com raízes sertanejas do semiárido baiano, percebi muito cedo que as dificuldades impostas pelas circunstâncias só seriam superadas se transformadas em oportunidade de nutrir, todos os dias, minha profunda paixão por (des)aprender, empreender e transformar. Afinal, as desigualdades e mazelas sociais, tão conhecidas pela maioria dos brasileiros, tornam-se mais impactantes e difíceis de suplantar, quando somos vitimados por um modelo educacional, nas escolas ou organizações, que “ensina” a decorar, reproduzir e seguir, ao invés de fomentar o pensar, criar e liderar.

Sou grato a todos estes percalços, pois aumentaram meu inconformismo e, também, minha paixão. O que fez daquele menino, saído da periferia, Ph.D. em Educação, Política e Gestão; Mestre em Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social; Cientista Político; Psicopedagogo; com MBAs em áreas como RH, Gestão Organizacional, Política e Estratégia; Oficial do Exército Brasileiro; reconhecido, no início da carreira, como o professor universitário mais jovem do Brasil; mentor de estadistas, líderes empresariais e educacionais; membro de missões internacionais de cooperação, por organismos como ONU, ABC/CAPES, Banco Mundial, entre outros. Porém, nada disso me envaideceu mais, do que a convicção de que nunca me limitei a títulos, formação ou teorias, encarando muito cedo o desafio de empreender e pensar ‘sem caixinha’.

Quando fundamos o Grupo INGEPE, há quase duas décadas, o Brasil vivia uma de suas mais agudas crises. Tínhamos um CNPJ, algumas poucas economias e um propósito claríssimo de conceber uma organização ágil, a frente do seu tempo, especializada no desenvolvimento humano e organizacional, pela força da liderança educadora e o poder da (re)aprendizagem. Este DNA, mantido intacto até os dias atuais, tornou nossos negócios, nos segmentos de pesquisa, educação, mentoria e tecnologia, referências de atuação em quatro continentes, para empresas, governos e pessoas que buscam a transformação, pelo que nós chamamos de cultura do Apreendedorismo®, abordagem concebida, validada e registrada por nosso time.

Depois de passar por todos os níveis da educação – escolar, empresarial e sociopolítica – como educando e educador, estou convicto de que isto não basta para as futuras gerações. É preciso garantir a reprogramação, cognitiva e afetiva, das nossas crianças e jovens, bem como mitigar nos adultos (pais, professores, empresários, gestores, etc.) os danos ocasionados pela falência dos sistemas educacionais, enquanto agimos nas suas causas. Acreditamos numa “nova alfabetização”, de toda a sociedade e para além da escola, através do Apreendedorismo®, onde os brasileiros possam aprender a Ler (o mundo criticamente), Escrever (novos destinos) e Contar (outras histórias).

Tudo isso passa pela construção de um novo modelo mental, que fomente um aprender a: aprender; ser; conviver; empreender e ensinar (difundir). Por isto, hoje, dedico grande parte da minha energia e tempo, juntamente com uma verdadeira “tribo da economia colaborativa”, ao esforço de fortalecer um movimento nacional por outra perspectiva/mindset de Apreendedorismo® e inovação, para libertar toda uma geração de brasileirinhos e resgatar, na medida do possível, adultos que estão ficando para trás, nesta sociedade da aprendizagem.

Alvin Toffler, futurista norte americano, sentenciou que “o analfabeto do século XXI não será aquele que não consegue ler e escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender”.

Eis o desafio, em prol da coletividade, que faz vibrar a criança que habita em mim. Tenho certeza que vamos virar este jogo, pois, quem foi forjado nos campinhos de barro da vida, driblando a escassez, matando os desafios no peito e chutando o pessimismo pra bem longe, vai tirar de letra, mais este bom combate.

E aí pequeno Rodrigo? Tá gostando?

Vamos juntos!


Por Rodrigo Santos

Ph.D. / CEO do Grupo INGEPE e Diretor Científico do Instituto de Gestão, Educação, Política e Estratégia.